Justiceiro a 20 de Janeiro de 2010 às 20:14
Acabei de ler os teus post’s sobre religião… Vejo que infelizmente já tiveste contacto com as mais diversas religiões. Li com particular interesse a parte em que falas sobre as Testemunhas de Jeová. Como é óbvio, não poderia ser o contrário! Se bem percebi, os teus pais ainda são Testemunha de Jeová (corrige-me se tiver enganado)? Tenho a mesma opinião do que tu sobre esse movimento religioso (prefiro chama-lhe de seita). A começar pelas suas publicações, onde ainda não percebi como existe cerca de sete milhões de pessoas em todo o mundo com pachorra para ler aquilo. Da minha parte preferia ler uma “Maria” ou então uma “Nova Gente”, porque acho os temas lá abordados, com mais interesse! Aquilo parece leitura para meninos, histórinhas de embalar, que ainda por cima são escritas em brasileiro (não tenho nada contra os brasileiros), mas escrever uma versão em português de Portugal, está fora de questão. Como é óbvio, ainda não atingimos a população necessária para ter exemplares das “Sentinelas” e “Despertais” (entre outros) em português nosso. O que a sociedade Torre de Vigia está preocupada é apenas com o lucro e não com a alfabetização correcta da língua portuguesa.
Numa parte qualquer do teu post, falas sobre a bíblia das Testemunhas de Jeová serem ou não igual as outras traduções… Pela lógica a bíblia deveria ser toda a mesma, mas a Tradução do Novo mundo não é igual as outras todas. Ela contem textos alterados e adaptados para dar credibilidade às suas doutrinas (o que, para quem acredita, é muito grave). Por exemplo um dos muito textos alterados é o de João 1:1 onde substituíram Deus (com maiúsculas) por deus (com minúsculas). Fica assim resolvido o problema da crença de um deus trino! Como este existe muito mais outros textos. O nome Jeová aparece creio que 237 vezes no novo testamento da Tradução do Novo Mundo, mas na realidade não aparece em nenhum dos manuscritos gregos conhecidos. Para mim o mais importante não é o erro dos fiéis (como tu referiste) mas sim os erros de uma organização que se diz a única detentora da verdade, e Divinamente inspirada. Tais não deveriam errar e continuar a errar incessantemente, pois afinal eles estão sobe a orientação de deus… Os fiéis esses, coitados, acabam por sem se aperceber, serem uns bonecos na mão dos seus “pastores”. A mim preocupa-me mais as mentiras daqueles que são orientados por deus (!), os mesmos que se designam como sendo o “escravo fiel e discreto” os que se auto intitulam de “Corpo Governante” (penso que deves conhecer todas estas terminologias!). Com essas mentiras, conseguem enganar milhares de seguidores e manipular as suas vidas ao mais ínfimo pormenor. A mim preocupa-me as leis internas dessa seita, desconhecidas da grande maioria das pessoas. Leis essas que são um autentico perigo para o tecido familiar. Creio que nunca tenhas sido baptizada pelas Testemunhas de Jeová, senão a esta hora os teus pais não te dirigiriam a palavra… Ópio do povo? O Ser humano tem de acreditar em alguma coisa, e de preferência em algo que não consiga entender muito bem, como é o caso de deus. Faz bem acreditar em algo, e por vezes ajuda a ultrapassar certos problemas que vida gentilmente nos vai ofertando. Já disse aqui que tive momentos em que gostaria de acreditar em algo, mas a lógica falou mais alto. Com respeito aos haitianos, é claro que a única coisa que lhes resta é agarrarem-se a alguma coisa, a deus por exemplo. Perderam tudo, o que fica? Que seja um deus… O pior é que as seitas não estão lá por amor ao próximo, e no caso concreto desta notícia, acredito que apanhando as pessoas num momento de fragilidade, estão à vontade para lhes lerem a bíblia todinha e mais alguma coisa com os seus ideais, manipulando-os ao seu belo prazer, pois eles iram comer tudo e mais alguma coisa! Atrás disto, quando eles estiverem devidamente catequizados, é só pedirem o que realmente interessa (dinheirinho!)!! Atenção que estou a falar de seitas religiosas. Tenho a firme convicção que muitas religiões estarão presentes com o intuito genuíno de ajudar, sem pensar no proselitismo.
(continua)

Justiceiro a 20 de Janeiro de 2010 às 20:17
(continuação)
Da minha parte continuo a dizer que deus não existe e que de uma ou outra maneira, ele só tem feito mal ao Ser humano. Falas no teu post em livre arbítrio; achas que algum crente seja lá de que religião for, tenha livre arbítrio? Livre arbítrio é tu escolheres quem queres adorar (ou não), sem medo de seres destruída de uma ou outra maneira (dependendo das religiões). Que eu tenha conhecimento, o deus da bíblia não nos contemplou com o poder de escolha! Além de ciumento, é extremamente vaidoso e exige adoração exclusiva…
Tenho dito.
Beijinhos