deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 26.09.10 às 16:29link do post | | | favorito

       A mesma música, em épocas diferentes... O segundo vídeo está muito bom. Gosto!

 

Antes

 

 

Depois

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 18.09.10 às 01:08link do post | | | favorito

       Hoje, talvez por ser sexta-feira e o povo esteja mais propenso a javardice, tive um encontro como direi… do terceiro, ou até mesmo quarto grau (ainda estou por definir o nível deste caso!)! Não vou descrever aqui toda a história rocambolesca, até porque a mesma é um pouco trash.

 

Digamos que um sujeito (aparentemente muito macho), que conheço há algum tempo, convidou-me para um momento de “bricolage” na casa de banho da biblioteca em que ele trabalha e eu frequento… No inicio pensava que estaria a brincar, mas logo percebi que o que ele queria era isso mesmo, “divertir-se”… Tive a confirmação do grau de bichice do animal quando este me convidou a sodomiza-lo. Sei que a palavra parece um pouco forte e talvez alguns pensarão que é exagero da minha parte, mas quando um indivíduo tira as calças mesmo à nossa frente deixando as suas partes íntimas desnudadas e profere estas lindas palavras: “Anda se és homem. Tens medo, o cu não tem sexo”, aí vimos que o bicho (bicha), não está para brincadeiras. Na minha grande sapiência ainda soltei esta pérola: “Vai mas é apanhar no cu”. Logo pensei: acho que não devia ter dito isto … Para mostrar ao borboleta o meu grau de masculinidade, num tom firme e energético exprimi mais este lindo momento: “Vai mama-la”… Estão a ver onde me meti!? Enterrei-me todo (salvo seja)! Não tenho sorte nenhuma. Com tanta moçoila gira na biblioteca, tinha logo que ser esta avestruz a fazer-se a mim. O caso não fica por aqui.

 

Perplexo com toda esta situação, contei o sucedido a minha mulher… Erro meu. Já a tinha visto preocupada com a vizinha de cima, com a menina do café, onde por vezes tomamos o pequeno-almoço (por sinal bastante engraçadinha!), ou com uma ou outra mulher, mas nada de muito grave. Coisas típicas de gaja! Agora nunca pensei que ela me chagasse o cérebro por causa de um gayzola. “Ainda estou por perceber porque o gajo tirou as calças”, dizia ela vezes sem conta. “Olha, pergunta-lhe. Dasse, se fosse a tua vizinha eras capaz de não me chateares tanto a broa”, repliquei. Foi mais de uma hora a ouvi-la! Ainda agora, enquanto fazia uma pausa na escrita deste texto, levantei-me para ir a casa de banho e ouvi esta bela frase saída da boca da minha querida esposa: “Uuuiiiii que Gayzoooola que eu sou”…

 

Decididamente eu não tenho sorte nenhuma! Deus castiga e é bem verdade! É o que dá ter deixado de acreditar nele. Tudo isto serviu para perceber uma verdade: caso haja uma traição por parte do homem, a mulher prefere que a mesma tivesse acontecido com alguém do sexo feminino, pois o contrario afectaria-lhe ainda mais o ego.

 

Para provar à minha gaja a minha boa intenção enquanto verdadeiro macho latino, e para que não haja lugar a pensamentos negativos sobre a minha pessoa, dedico-lhe este lindo vídeo com o agradável tema: satisfação! Resumindo e concluindo, cuidado com a paneleiragem, eles andam à solta…

 

PS. Atenção, nada tenho contra homossexuais. Não me agrada é o comportamento de alguns, que querem à força afirmarem-se como mulheres, adoptando assim aqueles tiques efeminados, fazendo deles nem uma coisa nem outra. Depois vem a raça que eu encontrei, que não são gays, mas uns simples paneleiros (porcos) que são capazes de tudo para serem desmontados.

 


deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 23:04link do post | | | favorito

E só porque hoje é sexta, e em principio amanha é sábado...

 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 22:46link do post | | | favorito

Decididamente não me canso deste filme nem da banda sonora...

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.09.10 às 01:46link do post | | | favorito

       Cheguei tarde para o 11 de Setembro, mas o que interessa é a intenção. Para relembrar esse trágico dia, vou deixar esta linda música, deste grandioso artista conhecido no globo inteiro que dá pelo nome de Delfín Quishpe. Uma bonita música, com um espectacular vídeo. Qualidade e som de topo, aqui no Talho e a Cidade (como vem sendo habito!). Boa escuta.

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.09.10 às 01:19link do post | | | favorito

       Este vídeo está muito bonito… Não era eu que ia lá para o meio! A parte final é espectacular…

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 03.09.10 às 11:58link do post | | | favorito

Remix deste grande pastor. O Talho e a Cidade, sempre na vanguarda musical!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 02.09.10 às 19:17link do post | | | favorito

Esta música hoje não me sai da cabeça...

 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 31.08.10 às 22:11link do post | | | favorito

O rei da Pop voltou...

 

Mais uma linda músiqueta com o carimbo de qualidade que já vem habituando os leitores do Talho e a Cidade!

 


deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 21.08.10 às 17:01link do post | | | favorito

Mais uma música dos 80, que na altura apelidava-mos de "música discoteca"...

 

Muito porreirinho!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 16.08.10 às 23:52link do post | | | favorito

       Este vídeo faz qualquer “baronesa” sentir-se uma insignificante bailarina daquelas de trazer por casa! Cuidem-se as Carolinas Salgado deste e doutro mundo… Essa dança que até agora era apanágio de algumas casas, digamos... duvidosas, agora também virou uma dança de homens e para mulheres. Homens belos, como o próprio vídeo mostra, homens com um corpo perfeito, o típico macho latino! Sim, porque machos latinos também os há nesse grande país que é a Índia! Carolina, se tivesses botado os olhinhos nestes gajos, a esta hora não estavas no desemprego a fazer de conta que és uma mulher séria!

 

PS. O que ainda val no meio de tudo isto, é a música.

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.08.10 às 01:35link do post | | | favorito

       Finalmente voltei... um pouco mais azeiteirola, é certo, mas férias não são férias sem a respectiva música pimba! Muito tenho a contar, mas deixarei as minhas "aventuras" para outro post (se até lá encontrar vontade!).

 

Assim como a época dos incêndios parece ter começado (até para os fogos parece existir abertura), também começa hoje uma nova temporada, onde tentarei proporcionar aos meus clientes mais fiéis, sempre a melhor carne ao melhor preço, com a chancela de qualidade: O Talho e a Cidade.

 

 Até lá curtam esta linda músiquinha!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 10.06.10 às 00:01link do post | | | favorito

       Embora esta música não seja "do meu tempo", gosto da mesma pela letra e o seu significado. Faz-me lembrar que ainda há pouco tempo ouvia esta canção tocar no rádio dos meus pais, era eu ainda uma criança. Agora, já adulto, com dois filhos, penso no significado das palavras de Charles Aznavour e lembro-me como a vida é curta e como deveríamos fazer o máximo para sermos e fazermos os outros felizes. De nada serve as “pequenas” tricas que nos roubam anos de salutar coexistência com aqueles que mais amamos… Um dia, no futuro, meditaremos sobre o passado, e veremos que fomos traídos pelos nossos pensamentos e atitudes, que julgávamos serem os mais correctos. A vida é feita para ser vivida hoje

 

tags: ,
sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 09.06.10 às 21:13link do post | | | favorito

       Já não ouvia isto há algum tempo...

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 08.06.10 às 22:47link do post | | | favorito

       Mais uma grande música do inicio dos "eighties".

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 08.06.10 às 00:48link do post | | | favorito

        Estava-mos nos finais da década de 80, o meu primo Tony, o Paulo Macaco (como o nome indica, um autentico símio!), o Jorge Luís (com o seu cabelo que mais parecia uma mitra!), e eu, partilhava-mos a mesma paixão: a Dulce Pinheiro (que na verdade não se chama Pinheiro. Porquê, não me recordo). A Dulce era a nossa fonte de inspiração, o nosso tema de conversa, a nossa musa... O que fazer para poder aproximar a deusa? Convidá-la para uma saída até a discoteca, estava fora de questão. Discoteca rimava com coisa impura, nojenta, onde o mal estava presente... Como estávamos explicitamente proíbidos de visitar tais locais mundanos, dávamos por vezes na garagem de um de nós, uma festa a que carinhosamente chamava-mos de: convívios... Eu sei, convívio parece coisa de atrasados mentais, mas estávamos expressamente proibidos de chamar "festa" aos nossos ajuntamentos (soava a coisa pagã). Convidava-mos toda a maralha que conhecia-mos para (lá está), convivermos! Confesso que olhando para trás aquilo era, como que a modos, de uma valente azeiteirada. Atenção, desengane-se quem pense que a malta aproveitava essas ocasiões, para estreitar melhor a nossa relação com alguma moçoila... Nada! Erramos proibidos de dançar essa coisa do Demo, que são os slow's! Dançar agarradinhos, era meio caminho andado para a fornicação! Nos nossos "mega convívios", tínhamos sempre alguém "responsável", que olhava por nós (a juventude frágil e ingénua...), e que não nos deixava cair em tentação! Um espécie de provedor do convívio (!), que nos dizia até onde podíamos ir, e o que dançar... Depois veio essa coisa, directamente das entranhas da terra, a música mais ouvida no inferno, uma dança apadrinhada por Satanás: a Lambada! Bem, aí, o simples facto de escutar tão repugnante música, dava quase direito a ser executado logo ali!

 

Resumindo, uma autêntica ditadura e uma palhaçada bem ao nível de um grande circo internacional (para bom entendedor, meia palavra basta...)! Quão ingénuos nós éra-mos (e alguns continuam a se-lo). Quão fácil era manobrar as nossas pequenas mentes, ao sabor de alguns atrasados mentais, que gostavam de sentir algum poder, por conseguir que meia dúzia de "inocentes" os obedecessem.

 

O que recordo de bom dessa década? A música, que me faz lembrar que embora tenha perdido o melhores anos da minha vida, vou sempre a tempo de recuperar alguma coisa... 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 10.05.10 às 23:36link do post | | | favorito

       Na minha busca constante de músicas que marcam gerações (e não só!), deparei-me com este espécime raro! Um mega êxito, na voz de uma Boys Band de craveira internacional! O Talho e a Cidade, é só sucessos…

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 09.05.10 às 22:48link do post | | | favorito

       Estavamos em meados da década de 80, e "rolava" no meu leitor de cassetes esta música da qual quase já não me lembrava da sua existencia... Um pouco por mero acaso encontrei, este que foi um dos grandes hit's da época. É favor colocar o volume no máximo!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 01.05.10 às 02:01link do post | | | favorito

 

Quand je la regarde faire, j'ai les larmes aux yeux
Mais ce n'est qu'une mère qui voudrait être le bon Dieu
Ce n'est qu'une mère qui voudrait être le bon Dieu
Pour ne jamais voir l'enfer dans le vert de mes yeux
Alors je danse vers des jours heureux
Alors je danse vers et je m'avance vers
Des jours heureux

Je t'aime, je t'aime
Maman, maman
Je t'aime passionnément
Je t'aime, je t'aime
Maman, maman
Je t'aime simplement

Quand je regarde mon père et ses yeux amoureux
Elle sera sûrement la dernière dans ses bras à lui dire adieu, adieu
Elle a mal sans en avoir l'air pour qu'autour d'elle ceux
Qui la regardent faire ferment les yeux
Pour qu'autour d'elle ceux qui la regardent faire n'y voient que du feu 

Je t'aime, je t'aime
Maman, maman
Je t'aime passionnément
Je t'aime, je t'aime
Maman, maman
Je t'aime simplement

J'ai pas su trouver les mots
Pour te parler, je sais
Mais je pense être assez grand
Alors aujourd'hui j'essaie
Tu l'as bien compris je crois
Je t'aime en effet
Tu l'as bien compris je crois
Je t’aime pour de vrai
Tu l'as bien compris je crois
Je t'aime en effet
Tu l'as compris je crois
Je t'aime pour de vrai
Oh Maman
Je t'aime pour de vrai
Je t'aime, je t'aime pour de vrai

 

"Amamos as nossas mães quase sem o saber e só nos damos conta da profundidade das raízes desse amor no momento da derradeira separação." (Guy de Maupassant)

 

Amo-te mamã.

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 29.04.10 às 12:11link do post | | | favorito

       Para quem pensa que só em Portugal é que existem cantores pimba, desengane-se, achei esta pérola (rara!) no You Tube. Além da letra (e da voz!)  fazer inveja a um qualquer Zé Cabra, o vídeo é feito com um grande profissionalismo, bem ao nível dos melhores! Deleitem-se...

 

sinto-me:

mais sobre mim
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

31


pesquisar
 
PlanetaPortugues: O motor de busca de Portugal
nº de visitas da freguesia
encerramos ao Domingo
quantos fregueses andam por aqui agora
tradutor
subscrever feeds


.

Assista ao documentário

"O Mundo Perfeito de Jeová"

clicando em baixo