deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 27.09.10 às 11:31link do post | | | favorito

 

       Há algum tempo atrás, recebi um mail de uma pessoa religiosa, dando-me conta do que me iria acontecer por não acreditar em deus e por supostamente, não seguir as suas leis divinas. O mesmo além de me criticar, continha histórias de pessoas que por não quererem abraçar os mandamentos do “criador”, subiram as mais diversas atrocidades, culminando nas suas próprias mortes. Como não gosto que insultem a minha inteligência e odeio o fanatismo religioso, decidi responder a tão “bonito” e-mail. Hoje ao dar uma vista de olhos aos e-mails enviados, deparei-me com a resposta que lhe mandei, e lembrei-me que poderia dar um post. Deixo então aqui a minha réplica ao religioso fanático, que, com todo o seu amor, tentou convencer-me que algo mau iria acontecer comigo se não me convertesse rapidamente.

 

 

O culpado? Deus

 

       Se existe uma coisa que é pública e notória – com nenhuma possibilidade de contestação – é a capacidade de descaramento de um religioso na hora de lutar para impor suas opiniões. A “cruzada” contra o livre pensamento, fazem com que eles mintam horrivelmente a fim de fundamentar alegações tão sólidas quanto castelos de nuvens.

 

As mentiras são muitas! Histórias fantasiosas que circulam por aí com a popularização da internet, escritas por pessoas totalmente burras, estúpidas, imbecis, incultas e fanáticas. Não, não fui exagerado nas qualificações…

 

Parece que quem blasfema contra o deus judaico-cristão, sofre posteriormente a “ira divina” com mortes violentas e horríveis. Histórias que têm circulado pela internet através de correntes de e-mail, fóruns, power point’s, etc. Uma das tácticas usada por pessoas crentes em deus para infundir o medo nas pessoas que o recebem, para que estas não blasfemem contra o deus deles, sob pena de sofrerem mortes horríveis e prematuras.

 

Aliás, poderíamos argumentar que deus é esse que precisa recorrer a expedientes satânicos e malévolos para punir as pessoas que, supostamente, possuem o “livre arbítrio” tão alardeado pelos religiosos? Se tivessem realmente esse “livre arbítrio”, as opiniões dessas pessoas seriam RESPEITADAS e não seriam punidas por isso.

 

Mas se sofrem punições pela liberdade de opinião e de expressão, então em que exactamente esse deus difere dos ditadores de regimes autoritários, repressivos, fascistas, nazis? Esses tipos de regimes punem pessoas, com penas de morte e reclusão, só por causa da ousadia em criticá-los, e de se expressarem, em apontar os defeitos, em não aceitarem o estado de coisas.

 

Não sou contra a religião assim como não sou contra a literatura, o comer, o beber, passear, cinema, etc. Todos eles podem ser fonte legítima de prazer para quem tira gozo deles. E não dá para negar que muita gente encontra conforto junto da religião. Alguns experimentam até mesmo o êxtase. Há ainda quem dela se valha para formar e cimentar um círculo de relacionamentos sociais, mais ou menos como um clube. Para nenhuma dessas funções, entretanto, é necessário que ela seja verdadeira. Aliás, afirmar que determinada religião é falsa é uma afirmação com a qual a esmagadora maioria da humanidade tende a concordar, desde que o juízo não se refira a seu próprio credo.

 

Não estou, evidentemente, atribuindo à religião toda a violência de que o homem é capaz. Ao contrário, estou convicto de que, se não fosse a fé, encontraríamos outros pretextos para nos massacrar. É inegável, entretanto, que a religião serviu e está servindo de motor à barbárie. Alguns religiosos argumentam que deus abandonou os humanos por estes o terem desprezado… Desta forma, o Ser humano está entregue a si próprio e as consequências são bem visíveis. Guerras, ataques terroristas, catástrofes naturais, assassinatos nas mais variadas vertentes, e um sem número de calamidades. Deus no seu grande amor, sabedoria e benevolência, decidiu abandonar a sua criação, os seus filhos, isto é, o Ser humano, tudo porque alguns decidiram não o adorar, não prestar mais vassalagem, não rezar a alguém que nunca se mostrou fosse da maneira que fosse.

 

O todo-poderoso decidiu que não somos dignos de viver as nossas vidas tranquilamente porque alguns de nós decidiram não ler a bíblia e consequentemente viver essa vida conforme ele a determinou. Mas no meio das centenas de milhares de Seres humanos que decidiram não acreditar na sua existência, entre outras bilhões que não professam as mesmas crenças, acreditando noutro deus (ou deuses), existe mesmo assim muitos que ainda seguem os mandamentos bíblicos. Mas mesmo a esses, deus decidiu punir com as mais diversas fatalidades. Porque não castiga ele apenas aqueles que não o adoram e ampara os crentes?

 

Como humano imperfeito, pai de dois filhos, não consigo atingir tão estranha concepção do amor. É para mim particularmente difícil entender esse amor bizarro, que deveria ser desnudado de qualquer interesse. Esse deus (ou deuses) que todas as religiões, cristãs, entre outras, professam ser o único verdadeiro, mostrou ser um Ser vaidoso e ciumento, exigindo única e exclusiva adoração, sobe pena de sermos castigados. Mais uma vez, não é de mais referir que como Ser imperfeito, com uma inteligência digna de um qualquer mortal, faria e faço melhor uso da palavra amor. Exijo respeito aos meus filhos, tento educa-los naquilo que eu acho ser “os bons caminhos”, não precisando para isso auxiliar-me num qualquer livro, dito “inspirado”. A moral, os bons costumes, o amor ao próximo, etc, não é exclusividade de uma qualquer religião, da Bíblia, do Corão ou de outro livro. Não preciso que os meus dois filhos me venerem, para eu poder ama-los. Não necessito que eles sigam os meus passos para continuar a ser o pai deles e assim tentar sempre proporcionar-lhes o melhor. Se por qualquer motivo, algum dos dois, ou até mesmo os dois, não quiserem seguir os meus conselhos (não confundir com leis, de cumprimento obrigatório), não os amaldiçoarei, nem os castigarei por isso. Serei sim, sempre o seu pai, que os ama e continuará a amar. Como mero humano, e (mais uma vez) imperfeito, consigo fazer melhor que deus na sua grande sabedoria, magnitude e benevolência… A palavra amor, não me é desconhecida e faço uso dela diariamente ao contrário do deus dos religiosos e de alguns fanaticos que se julgam donos de uma suposta verdade (...).

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 26.09.10 às 17:29link do post | | | favorito

       Acabou-se os milagres "à moda antiga"... Qual abertura do Mar Vermelho? Quais 10 pragas do Egipto? Agua transformada em vinho (o meu preferido!)? Ressurreição dos mortos? Tudo isto (e muito mais)  não passa de milagresitos fraquinhos do passado. Deus agora (agora?) é megalómano, e faz as coisas em grande. Em vez de se preocupar com os pequenos problemas da humanidade, tais como fome, doenças, guerras etc., o “todo-poderoso” decidiu virar-se para esta senhora e atender as suas preces. É mais que obvio que a mesma, além de estúpida, tem o intestino grosso ligado ao cérebro… Mas o que realmente importa aqui é que deus, finalmente decidiu interessar-se por este grande problema que é a prisão de ventre! Até quando deixará esse deus (e seus seguidores) de me surpreender? Decididamente, religião é igual a diarreia mental…

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 26.09.10 às 16:29link do post | | | favorito

       A mesma música, em épocas diferentes... O segundo vídeo está muito bom. Gosto!

 

Antes

 

 

Depois

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 26.09.10 às 13:48link do post | | | favorito

       Este é o único milagre em que acredito! ZézéCamarinha, é a prova que milagres ainda acontecem (diz ele!)!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 18.09.10 às 01:08link do post | | | favorito

       Hoje, talvez por ser sexta-feira e o povo esteja mais propenso a javardice, tive um encontro como direi… do terceiro, ou até mesmo quarto grau (ainda estou por definir o nível deste caso!)! Não vou descrever aqui toda a história rocambolesca, até porque a mesma é um pouco trash.

 

Digamos que um sujeito (aparentemente muito macho), que conheço há algum tempo, convidou-me para um momento de “bricolage” na casa de banho da biblioteca em que ele trabalha e eu frequento… No inicio pensava que estaria a brincar, mas logo percebi que o que ele queria era isso mesmo, “divertir-se”… Tive a confirmação do grau de bichice do animal quando este me convidou a sodomiza-lo. Sei que a palavra parece um pouco forte e talvez alguns pensarão que é exagero da minha parte, mas quando um indivíduo tira as calças mesmo à nossa frente deixando as suas partes íntimas desnudadas e profere estas lindas palavras: “Anda se és homem. Tens medo, o cu não tem sexo”, aí vimos que o bicho (bicha), não está para brincadeiras. Na minha grande sapiência ainda soltei esta pérola: “Vai mas é apanhar no cu”. Logo pensei: acho que não devia ter dito isto … Para mostrar ao borboleta o meu grau de masculinidade, num tom firme e energético exprimi mais este lindo momento: “Vai mama-la”… Estão a ver onde me meti!? Enterrei-me todo (salvo seja)! Não tenho sorte nenhuma. Com tanta moçoila gira na biblioteca, tinha logo que ser esta avestruz a fazer-se a mim. O caso não fica por aqui.

 

Perplexo com toda esta situação, contei o sucedido a minha mulher… Erro meu. Já a tinha visto preocupada com a vizinha de cima, com a menina do café, onde por vezes tomamos o pequeno-almoço (por sinal bastante engraçadinha!), ou com uma ou outra mulher, mas nada de muito grave. Coisas típicas de gaja! Agora nunca pensei que ela me chagasse o cérebro por causa de um gayzola. “Ainda estou por perceber porque o gajo tirou as calças”, dizia ela vezes sem conta. “Olha, pergunta-lhe. Dasse, se fosse a tua vizinha eras capaz de não me chateares tanto a broa”, repliquei. Foi mais de uma hora a ouvi-la! Ainda agora, enquanto fazia uma pausa na escrita deste texto, levantei-me para ir a casa de banho e ouvi esta bela frase saída da boca da minha querida esposa: “Uuuiiiii que Gayzoooola que eu sou”…

 

Decididamente eu não tenho sorte nenhuma! Deus castiga e é bem verdade! É o que dá ter deixado de acreditar nele. Tudo isto serviu para perceber uma verdade: caso haja uma traição por parte do homem, a mulher prefere que a mesma tivesse acontecido com alguém do sexo feminino, pois o contrario afectaria-lhe ainda mais o ego.

 

Para provar à minha gaja a minha boa intenção enquanto verdadeiro macho latino, e para que não haja lugar a pensamentos negativos sobre a minha pessoa, dedico-lhe este lindo vídeo com o agradável tema: satisfação! Resumindo e concluindo, cuidado com a paneleiragem, eles andam à solta…

 

PS. Atenção, nada tenho contra homossexuais. Não me agrada é o comportamento de alguns, que querem à força afirmarem-se como mulheres, adoptando assim aqueles tiques efeminados, fazendo deles nem uma coisa nem outra. Depois vem a raça que eu encontrei, que não são gays, mas uns simples paneleiros (porcos) que são capazes de tudo para serem desmontados.

 


deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 23:04link do post | | | favorito

E só porque hoje é sexta, e em principio amanha é sábado...

 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 22:46link do post | | | favorito

Decididamente não me canso deste filme nem da banda sonora...

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 13:54link do post | | | favorito

Blasfémia é o que é! Eva nunca foi dessas...

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 17.09.10 às 13:33link do post | | | favorito

       Deus poderia ter feito de mim um homem rico, e assim ter a possibilidade de comprar um "brinquedo" igual a este! De qualquer das formas, não sei se teria tanta habilidade para pilotar desta maneira... Simplesmente espectacular. É favor colocar o som no máximo, para ouvir este (gracioso) rugido de motor.

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.09.10 às 01:46link do post | | | favorito

       Cheguei tarde para o 11 de Setembro, mas o que interessa é a intenção. Para relembrar esse trágico dia, vou deixar esta linda música, deste grandioso artista conhecido no globo inteiro que dá pelo nome de Delfín Quishpe. Uma bonita música, com um espectacular vídeo. Qualidade e som de topo, aqui no Talho e a Cidade (como vem sendo habito!). Boa escuta.

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.09.10 às 01:27link do post | | | favorito

A única verdade (ou não!)...

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 14.09.10 às 01:19link do post | | | favorito

       Este vídeo está muito bonito… Não era eu que ia lá para o meio! A parte final é espectacular…

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 12.09.10 às 11:50link do post | | | favorito

      

       Foi há precisamente um ano que aceitei o repto de alguns amigos e familiares de criar este blogue. No inicio não sabia quanto tempo o mesmo ficaria no ar, por achar que nunca iria ter matéria para escrever… Os dias, os meses foram passando e verifico agora que não escrevo mais, por falta de vontade da minha parte. Será que este blogue vai aguentar-se por mais um ano? Creio que sim! Mas até lá parabéns ao meu bloguezinho pelo primeiro ano de vida. Para o ano, se deus (o vosso senhor) o permitir (já estou a imaginar uns quantos leitores a blasfemar contra mim!), estarei aqui para a comemoração do segundo aniversário! Até lá, quero agradecer aos que me seguem por suportar (por vezes, nem sempre!) os meus delírios. Vemo-nos brevemente

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 10.09.10 às 23:48link do post | | | favorito

       Nunca souberam o porquê dos artigos "made in China" serem tão baratos? Aqui está a explicação: eles não brincam em serviço!

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 10.09.10 às 23:38link do post | | | favorito

       Tenha medo... tenha muito medo. Não sei porquê, mas tenho como uma leva sensação que esta raça um dia nos irá dominar.

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 10.09.10 às 23:28link do post | | | favorito

       Esta semana emprestaram-me uma coisinha destas... Não sabia das potencialidades deste pequeno aparelho, mas o certo é que fiquei completamente rendido e apaixonado. Haverá por aí alguma alma caridosa que se digne em me oferecer este "piqueno" telemóvel!? Agradeço desde já toda a vossa disponibilidade!

 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 09.09.10 às 13:53link do post | | | favorito

O meu desporto favorito... Infelizmente, cada vez o pratico menos!

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 09.09.10 às 13:08link do post | | | favorito

Última actualização do dicionário de língua portuguesa - novas entradas:

 

Testículo: Texto pequeno


Abismado: Sujeito que caiu de um abismo

 

Pressupor: Colocar preço em alguma coisa


Biscoito: Fazer sexo duas vezes


Coitado: Pessoa vítima de coito


Padrão: Padre muito alto


Estouro: Boi que sofreu operação de mudança de sexo


Democracia: Sistema de governo do inferno


Barracão: Proíbe a entrada de caninos


Homossexual: Sabão em pó para lavar as partes íntimas


Ministério: Aparelho de som de dimensões muito reduzidas


Detergente: Acto de prender seres humanos


Eficiência: Estudo das propriedades da letra F


Conversão: Conversa prolongada


Halogéneo: Forma de cumprimentar pessoas muito inteligentes


Expedidor: Mendigo que mudou de classe social


Luz solar: Sapato que emite luz por baixo


Cleptomaníaco: Mania por Eric Clapton


Tripulante: Especialista em salto triplo


Contribuir: Ir para algum lugar com vários índios


Aspirado: Carta de baralho completamente maluca


Assaltante: Um 'A' que salta


Determine: Prender a namorada do Mickey Mouse


Detergente: Acto ou efeito de prender pessoas


Vidente: Aquilo que o dentista diz ao paciente


Barbicha: Bar frequentado por gays


Ortográfico: Horta feita com letras


Destilado: do lado contrário a esse


Pornográfico: O mesmo que colocar no desenho


Coordenada: Que não tem cor


Presidiário: Aquele que é preso diariamente


Ratificar: Tornar-se um rato


Violentamente: Viu com lentidão

 

 

E porque o saber não ocupa lugar...

 

 
Prontus: Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem.

Númaro: Também com a vertente 'númbaro'. Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!


Pitaxio: Aperitivo da classe do 'mindoím'.

Aspergic: Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina 
 
Alevantar: O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.

Amandar: O acto de atirar com força: 'O guarda-redes amandou a bola para bem longe'


Assentar: O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

Capom: Tampa de motor de carros que quando se fecha faz POM!

Destrocar: Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.

Disvorciada: Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

É assim...: Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.

Entropeçar: Tropeçar duas vezes seguidas.

Êros: Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

Falastes, dissestes...: Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES...

Fracturação: O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.

Há-des: Verbo 'haver' na 2ª pessoa do singular: 'Eu hei-de cá vir um dia; tu há-des cá vir um dia...'

Inclusiver: Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira. Também existe a variante 'Inclusivel'.

: A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'. Ex.: Atão mô, tudo bem?

Nha: Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.


Parteleira: Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

Perssunal: O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.: 'Sou perssunal de futebol'. Dica: deve ser articulada de forma rápida.

Prutugal: País ao lado da Espanha. Não é a Francia.

Quaise: Também é uma palavra muito apreciada pelos nossos pseudo-intelectuais... Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.

Stander: Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis. O 'stander' é um dos grandes clássicos do português da cromagem...

Tipo: Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?

Treuze:Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze. 

 

 

E assim se fala em bom português.

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 09.09.10 às 12:07link do post | | | favorito

"Porque é que estes gajos não vão, a esta hora, fazer o controlo na cona da mãe do Luís Horta".

 

Eu sabia que o mundo do futebol é propenso a pessoas grosseiras, mas julgava que esse tipo de "gente" faziam parte do passado. Pior é quando tais insultos partem da boca de um senhor, que ao que parece, é Seleccionador Nacional. Não devia este dar o exemplo aos seus pupilos? Depois vem o Senhor Carlos Queiroz todo ofendido falar de polvo, cabalas e mais não sei o quê... Com atitudes destas, é despedimento por justa causa e sem direito a levar qualquer tipo de compensação monetária (no fundo, o cerne da questão).

 

 Futebol, religião e politica, um negocio onde sempre existirá quem queira tirar partido...

 


deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 05.09.10 às 01:24link do post | | | favorito

Esta é para ti…

 

Como ainda hoje te disse, o saber não ocupa lugar, e uma das formas existentes de aprendizagens, é a leitura. Há que saber apartar a boa da má leitura, mas nunca partir do pressuposto que tudo é mau, e que tudo é escrito para nos desviar do “caminho correcto”. Nunca poderás comentar nada, nem fazer qualquer tipo de crítica se não dominas minimamente o assunto. Nunca terás autoridade para argumentar de forma válida o que quer que seja, se nunca leste sobre a matéria. Por fim, nunca poderás dizer que “tudo é mentira” sem primeiro verificar a veracidade das afirmações…

 

Ler ajuda-nos a crescer enquanto Ser humano, ajuda-nos a ter outra visão do mundo. Ler sobretudo faz com que sejamos um pouco menos analfabetos e mais compreensivos…

 

sinto-me:

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
15
16

19
20
21
22
23
24
25

28
29
30


pesquisar
 
PlanetaPortugues: O motor de busca de Portugal
nº de visitas da freguesia
encerramos ao Domingo
quantos fregueses andam por aqui agora
tradutor
subscrever feeds


.

Assista ao documentário

"O Mundo Perfeito de Jeová"

clicando em baixo