deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 30.09.09 às 12:36link do post | | | favorito

Por motivos pessoais, tive ontem de me dirigir a Câmara Municipal de Gondomar. Qual não foi o meu espanto quando me deparei com um fila na entrada de dezenas de metros com talvez mais de três centenas de pessoas. Estupefacto perguntei a um funcionário o porquê de tanta gente… Foi-me dito que era devido ao concerto que iria haver (julgo eu na sexta feira) do Tony Carreira. Sorri… Mas porque estão todos aqui, é na Câmara que estão a vender os bilhetes? Questionei eu novamente o mesmo funcionário. A resposta não se fez tardar: o que é que achas? Não estão a vender mas sim a dar, e é o Major que está a entrega-los… Naquele preciso momento senti um grande orgulho por todos os Gondomarenses. Adorei subir ao primeiro andar e ver o Presidente usar o Salão Nobre da Câmara para entregar pessoalmente um bem de primeira necessidade: bilhetes para um concerto! Era ver as pessoas impacientes, reclamando que o tempo de espera era excessivo e que estavam ali há muito tempo, que a fila nunca mais andava… Não queria acreditar no que ouvia e via. É do conhecimento de todos que o Senhor Major Valentim Loureiro é muito popular em Gondomar, que nada lhe mete medo e que o ridículo não lhe dá frio aos olhos. Toda a gente sabe que o Major tudo faz para comprar uns quantos votos. Mas com certeza que muitos não apoiam tais práticas.

 

O que tem feito o Senhor presidente nestes últimos anos? Muito se tem ouvido falar de Gondomar mas apenas pelas piores razões. Onde está o metro tão prometido pelo Senhor Major Valentim Loureiro? O hospital falado já não sei há quanto tempo? A Universidade? Parece que aquela influência que ele tanto gostava de proclamar desapareceu. Em Gondomar parece viver apenas um grupo de cidadãos: os moradores de bairros sociais. Esses têem direito a tudo e mais alguma coisa. Já não basta o tratamento VIP que lhes é dado, para também terem direito a todas as mordomias conferidas pela Câmara. Além do (polémico) rendimento mínimo, dos infantários gratuitos, do cabaz de alimentos, e de outros subsídios, etc etc, ainda lhes é oferecido uma casa a troca de uma renda ridícula em alguns casos simbólica. Será que tais indivíduos precisam mesmo de tais benesses? Em muitos casos NÃO. Mas para eles é o mais fácil… Esses mesmos são os que estavam ontem à frente da Câmara a reclamar que a entrega dos bilhetes estava demorada. Talvez a pressa seja devido ao facto de ter passado da hora de beber o martini no café, e para outros talvez seria por já ter começado o programa do Goucha! Ou talvez, pura e simplesmente já iriam chegar tarde ao trabalho (biscate) … Não sei, são hipóteses…

 

O Senhor Valentim devia de olhar para todos os Munícipes da mesma forma, e não apenas para aqueles que lhe dão mais votos. O Senhor deveria de se rodear por pessoas competentes e não por assessores que só estão a espera do dia 20 e que nada percebem das suas funções. Já não gostaria de falar de alguns vereadores, porque estou certo que os mesmos não me perdoariam por estar a falar de uma área que não domino: a lavoura! Existe na Câmara de Gondomar toda a espécie de vereadores: desde o mais inculto, passando pelo vaidoso e mulherengo (com a mania que é lindo!), nunca esquecendo o oportunista que desde há muito que espera uma falha do Presidente para tomar conta do barco. Existe também o arrogante, aquele que por ter um cargo, julga-se acima de toda a gente. É claro que também há bons profissionais, mas esses como de costume não são visíveis…

 

Estas práticas populistas são repudiadas por muitos e como Gondomarense, pessoalmente rejeito esta maneira fácil de se fazer campanha politica. O uso de um bem da autarquia (o salão nobre da Câmara) não devia servir para fim eleitorais.

 

Viva o Major Valentim Loureiro!

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 23.09.09 às 12:25link do post | | | favorito

Ao dar uma volta pela Fnac, numa das prateleiras descobri um disco que estava por lá poisado, quase meio escondido. Chamou-me a atenção o nome do conjunto: Trio de Mira. Decidi ouvir tal relíquia. A primeira música do CD intitulasse “Ana Maria”. É com algum incomodo, e até mau estar que venho confidenciar que embora meia azeiteirola, tal música ficou-me no ouvido… Eu sei que um gajo da minha idade não pode nem deveria ouvir estas coisas, pois tal pode afectar gravemente o aparelho auditivo, mas confesso: gostei da musica e agora? Quem nunca foi um pouco azeiteiro que atire a primeira pedra… Não haverá por aí algum ou alguma fã do Tony carreira? Já sei, vão me dizer que não é a mesma coisa, que o campeonato é outro, não é música azeiteira mas sim musica “Pop Portuguesa” (o que faz toda a diferença!). Quem nunca numa noite de queima, assistiu a um concerto do Marco Paulo? Isto para não falar de todos nós termos já dançado num casamento qualquer o “nós pimba” do Emanuel… Há que assumir a nossa veia azeiteira sem medos nem complexos. Ninguém gosta, ninguém gosta, mas toda gente bate com o pézinho…

Aproveito para dedicar esta linda musica a todas as Ana Maria especialmente a minha tia Ana Maria (pelo menos este post alguma utilidade há de ter!).

 

 

 

 

 

tags:
sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 22.09.09 às 18:42link do post | | | favorito

Oh cala-te, expressão geralmente usada para tentar silenciar alguém. Mas quando uma pessoa teima em usar esse termo em quase todas as frases que emprega, aí a história ganha outra dimensão!

 

“Sónia já viste que amanha vai chover?” – “Oh cala-te, eu queria ir para a praia”.

“Sónia essas calças não te favorecem!” – “Oh cala-te, gosto bem delas”. Etc., etc.

 

Mas porquê que a Sónia é assim? O que levará a Sónia a pronunciar sistematicamente tal palavra? Será algum trauma de infância? Algum desgosto de amor? Não (mais ou menos!). Recentemente descobri o porquê da menina usar essa expressão de maneira tão corriqueira.

 

Desde a sua mais tenra infância que Sónia (Sónia cala-te para os amigos!) sonhava com o céu as nuvens e os pardais! Sonhava poder voar como um passarinho. Mas como é do conhecimento de todos (julgo eu), a não ser que seja ajudado por alguma máquina, o ser humano não tem a habilidade de voar! Mas Sónia nunca se importou com tal facto e decidiu que um dia iria conseguir sobrepor esse obstáculo… Foram várias as tentativas, desde atira-se do berço, passando mais tarde, e já na faculdade, a mandar-se do seu velho Fiat Uno (todo podre), em andamento. Escusado será dizer que a mesma sofreu algumas contusões. A vida não corria de feição para a já agora adulta Sónia. O que mais tinha ela de fazer para conseguir voar? Será que o seu sonho de bebé não se iria concretizar? Sónia chorava compulsivamente por pensar que jamais conquistaria o céu.

 

Num bonito sábado de Maio, Sónia conheceu alguém que finalmente poderia ensina-la a voar… A menina andava feita barata tonta. Era vê-la andar de um lado para outro falando sozinha. Os seus olhos brilhavam de alegria e tudo o que a Sónia dizia parecia sair dum conto de fadas. Ela estava diferente… Existia agora uma razão para a Sónia viver e algo a levava a ter essa alegria toda. Mas o que seria? Nós, os amigos, nada sabia-mos e a nossa preocupação começava a aumentar. Foram várias as vezes que tentamos descobrir o porquê de tal mudança mas sempre em vão.

 

Um dia Sónia finalmente levantou uma pontinha do véu. Ela estava apaixonada por um pára-quedista. Atenção, não um pára-quedista qualquer ranhoso e bruto, daqueles cheios de tatuagens e com a mania que são maus. Nada disso. Um pára-quedista todo muito sensível, daqueles com cheirinho a água de colónia e tudo (parecia quase uma gaja, mas em versão gajo!). Um pára-quedista com pára-quedas e tudo. Sim, por muito incrível que possa parecer, o tal pára-quedista nunca largava o seu pára-quedas, andando com ele como se fosse uma mochila. Era bonito de se ver. Parecia um menino que ia para a escola com a mochilinha! Só lhe faltava o desenho do Noody atrás… Sónia estava perdida de amores… 

 

Num bonito domingo estávamos todos à espera que a Sónia aparecesse quando finalmente… chegou. Chorava, chorava, chorava... O que se terá passado?

­­­­- “Que tens Sónia”, perguntei eu.

- “Olha cala-te”…

Não estava fácil. Isto de lidar com mulheres sensíveis já se sabe como é!

-“Sóninha, levas-te no corpo” (pelo menos parece que não lhe pisaram a cara o que já não é muito mau)?

Nada. Que nojo de gaja (não fui eu que pensei)! Depois de mais de uma hora à volta da chorona, eis que subitamente ouve-se a Sónia a murmurar. 

- Calem-se que parece que ela está a falar, disse eu (é que parecendo que não, sou o único no grupo que realmente se importa com as mulheres. Também mau era!).

- “Ele não me quis emprestar o pára-quedas”.

-“Uie, uie, uie repete lá isso”.

- “Ele não me quis emprestar o pára-quedas”…

 Finalmente tudo fazia sentido.

 

Sónia vira no pára-quedista uma maneira fácil de poder realizar o seu sonho, mas tal não foi possível. Ela tinha conhecido um gajo com uma panca ainda maior do que a dela. Um homem completamente alucinado. Além de partilhar o mesmo gosto de voar, o pára-quedista era um agarrado e um ser completamente egoísta, incapaz de partilhar fosse o que fosse, muito menos o seu pára-quedas, esse mesmo que parecia fazer parte do seu corpo. Sónia tinha-nos confidenciado que ele levava o pára-quedas para a cama e que dormia com ele. O que estaria ela a espera de um individuo assim?

 

Agora todos tentamos apoiar a Sóninha na sua luta constante, evitando que ela se aproxime de mais de alguém que se queira aproveitar da sua fraqueza. Claro que não está a ser fácil para ela. Ainda bem recentemente no festival Red  Bull Air Race, a Sónia teve uma recaída. Era vê-la a acenar e a correr atrás dos aviões feita maluquinha com um enorme cartaz que dizia: deixa-me voar contigo.

 

Esta história é do mais verídico que possa existir e pode ser confirmada por qualquer pessoa amigo da Sónia. Ainda temos uma pequena esperança que um dia a Sónia voltará a ser uma pessoa normal e que se deixe destas tristes cenas...

 

Sónia, as melhoras para ti e põe-te boa rapidamente.

 

 

PS. Eu avisei-te Sónia, para a próxima não me mandes calar! {#emotions_dlg.brrrpt}

{#emotions_dlg.batman}

tags:
sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 22.09.09 às 14:47link do post | | | favorito

 

Estava eu ainda a dormir, quando subitamente alguém toca a minha porta. Meio estremunhado, pensei ser a vizinha que, como é hábito, vinha-me trazer alguns pés de alface... Descontraidamente saí da cama e ainda meio ensonado desci as escadas em direcção a porta da entrada... Qual não foi o meu espanto quando verifiquei que não se tratava da minha vizinha, mas sim de duas pessoas bem vestidas e aparentemente com um ar simpático. Mas quem seriam eles, o que queriam de mim? Intrigado, escutei-os com atenção. Fiquei a saber por essas mesmas pessoas que chegara o grande dia do Todo-poderoso. Que Deus iria trazer uma guerra para solucionar todos os problemas dos homens. Que essa solução tão esperada por eles, e que tão carinhosamente chamavam de Armagedão, era a única esperança para o ser humano, que todos aqueles que não seguirem os princípios de Deus (os do mundo, conforme apelidam os que não acreditam no mesmo que eles), serão destruídos... Pelo estilo de linguagem e dos termos empregados, identifiquei logo os meus visitantes. Tratava-se de Testemunhas de Jeová. Fiquei um pouco perplexo do porquê de me terem batido a minha porta. Nunca tinha recebido a visita dessa organização (nem de nenhuma outra) e não compreendia a causa de tal visita. Não é que nunca tinha ouvido falar deles e que não os conhecia, porque até tenho familiares meus chegados que são membros dessa religião. “Jogando” com tal facto e sabendo quase qual seria a resposta, decidi verificar até que ponto estaria certo. Fiz-lhes parte da "minha dúvida". Disse-lhes que nunca até aos dias de hoje tinha sido visitado e que ficara um pouco perplexo de tal ter acontecido agora! A resposta não se fez tardar e foi mais que obvia... Se estavam ali hoje, é porque Deus achou que chegará o momento de eu conhecer a Verdade. Nada é por acaso... Soltei um leve sorriso meio envergonhado. Muito bem (pensei eu), a minha "teoria" estava certa! Como não tinha nada para fazer, decidi dar-lhes ouvidos, mas não antes sem me ir mudar (porque tronco nu não é a melhor maneira de se estar a porta!). Depois de me ter mudado, mandei entrar tão dignos representantes de Deus…

Depois de devidamente acomodados no sofá, decidi ouvi-los com atenção. Fui informado que Deus tem um plano para toda a humanidade. Que Ele brevemente irá tornar todo o nosso planeta num paraíso, habitado apenas por aqueles que realmente fazem a vontade Dele. Quem serão esses escolhidos, perguntei eu. A resposta não se fez tardar… É claro que apenas as Testemunhas de Jeová terão tal privilégio. E então o resto da humanidade? Deus pura e simplesmente os irá destruir. Fiquei pensativo… Normalmente não sou muito bom em contas, mas decidi perguntar quantos membros existe entre as Testemunhas de Jeová (TJ). Cerca de seis milhões. A população mundial é cerca de 6,6 biliões… Sou um pouco como o nosso antigo primeiro-ministro Guterres: há que fazer as contas! As TJ nem 1% da população mundial representam… Fiquei a pensar nisto mas mantive-me calado e continuei a ouvi-los. Ofereceram-me um livro (cujo o titulo não me recordo) onde basicamente dizia que existe apenas dois lados: o bem e o mal. O primeiro capítulo abordava a temática Deus. O capítulo seguinte falava de Satanás o diabo. O terceiro, do propósito de Deus Jeová para com a terra e seus habitantes. E claro que o quarto capítulo dava-nos a escolher de que lado queríamos servir. Do lado do bem, ou do lado do mal. Por outras palavras: do lado das Testemunhas de Jeová ou do lado do Diabo. É claro que ninguém escolheria estar do lado do mal! Tal pergunta obvia requer logo uma resposta também ela obvia! Todo este proceder não é por acaso…

Depois de cerca de duas horas a ouvi-los decidi aceitar um estudo bíblico. Não porque estava interessado nas suas doutrinas, mas sim porque queria saber mais sobre a organização das TJ e seu funcionamento. Nunca consegui perceber porquê que um pai e uma mãe viram a cara a um filho apenas porque esse não mais acredita nas doutrinas Jeovistas. Nunca entendi porquê que esse filho é agora tratado como um mero estranho e visto, aos olhos de todas as TJ, como um simplório criminoso. Já para não falar das transfusões de sangue onde o mais importante é seguir um texto da bíblia e dar-lhe uma interpretação que apenas eles têem… O que levava milhares de pessoas a seguir essa ideologia? Será que as Testemunhas de Jeová são aquelas pessoas que todos conhecemos: exemplares, sem mancha nem macula? Decidi investigar…

O que mais salta aos olhos é que apenas as TJ serão salvas do “grande dia de Deus” (o Armagedão). O que quer dizer que 99,9% da humanidade será destruída! Onde está o amor de Deus no meio de tudo isto!? Não haverá gente que mesmo não sendo TJ tem um comportamento mais digno, e que humanamente seja melhor? Mas esse comportamento exemplar, essa imagem que gostam de fazer passar, existirá mesmo? Dentro da organização das Testemunhas de Jeová existe um facto digno de alguns países ditatoriais: a censura. Os membros dessa organização estão proibidos de ler publicações de outras religiões ou qualquer outro livro com ideias contrárias as doutrinas jeovistas. Uma TJ não pode exprimir livremente os seus pensamentos se estes forem contrários aos seus ensinamentos. As TJ não tem o direito de duvidar e devem de acreditar em tudo o que ouvem dos seus líderes sem questionar. O contrário seria entendido como estando fraco na fé. Essa pessoa seria vista como uma presa de Satanás, passando agora a ser servo Dele. Tal comportamento levaria á desassociação (expulsão) desse membro e todos os outros estão obrigados a não terem mais contactos com ele e nem um simples “olá” é permitido. Os familiares devem de dar o mesmo “tratamento” a pessoa expulsa sendo apenas permitido o contacto em caso de extrema necessidade (ex. o falecimento de um familiar). Toda esta conduta é tida como “amorosa” entre as TJ. Está maneira cruel de proceder com quem por vezes dedicou toda uma vida ao serviço de uma “religião”, tem uma razão de ser, razão essa que muito dificilmente as TJ conseguem enxergar. Geralmente quando uma pessoa sai da organização sociedade Torre de Vigia (designação legal) é por motivo de consciência, porque descobriu algo que até a data lhe foi escondido. Por tal motivo as leis internas mandam afastar essas pessoas, pois essas poderiam contaminar o resto do rebanho. Não está aqui em causa a contaminação dita “espiritual”, mas sim a verdade e a falhas sobre a organização não é bem vinda. Toda esta maneira de agir com os seus membros, toda esta manipulação mental é digna das seitas mais radicais. Mas existirá grande diferença entre as chamada seitas e as Testemunhas de Jeová? Não. Em alguns países as TJ são tidas como tal. Uma organização que teima em tratar os seus ex membros desta maneira, é uma grave ameaça ao tecido familiar. Quantas famílias sofrem por causa destas “leis” internas, que não tem nenhum fundamento bíblico? Como pode um povo que se auto intitula de “único representante de Deus na terra”, de “divinamente inspirado”, o povo escolhido etc, errar e continuar a errar sistematicamente?

 Alguma Testemunha de Jeová teve conhecimento Das falsas previsões desde o tempo de Charles Taze Russel (fundador da seita) para o Armagedão?

- O envolvimento em ocultismo por parte dos líderes da Torre de Vigia, que acabaram envolvendo os demais adeptos por décadas a fio (o caso do espírita, Johannes Greber, entre outos).

- As crenças do lideres da Sociedade em pseudo-ciencias, bem como os seus ataques à medicina tradicional (vacinas, transplantes, uso de derivados de sangue, etc. expondo a vida das Testemunhas de Jeová desnecessariamente ao risco.

- O perjúrio cometido na Bulgária, ao assinar um acordo com as autoridades daquele país em 1995.

- O caso de mudança de cobrança pela literatura, cujo objectivo foi tão somente fugir aos impostos, depois de Jimmy Swaggart, um pastor de outra seita, apoiado pela Torre de Vigia judicialmente, ter perdido a sua causa em justiça.

- A quebra de “neutralidade Cristã”, nos episódios envolvendo a “Declaração de Factos” e a vergonhosa carta a Hitler, bem como a aprovação de Rutherford (segundo presidente da sociedade Torre de Vigia), a compra de bónus de guerra, e o dia de oração em favor dos aliados da segunda guerra.

- O envolvimento da sociedade Torre de Vigia, por cerca de 10 anos à ONU, a que as Testemunhas de Jeová apelidam de “fera cor de escarlate”.

- O caso de sonegação de impostos em França.
- Os
frequentes casos de pedofilia, encobertos pela Torre de Vigia. etc, etc…

Quando confrontei os meus ilustres visitantes com tais factos, os mesmos limitaram-se a dizer que tudo era falso e uma invenção dos apóstatas (termo usado para quem saí da seita e que deixa de apoia-la nas suas crenças). Não me limitei apenas a dizer o que tinha descoberto, mas provei com documentação e até com algumas cópias de jornais. Uma TJ é treinada a dizer que tudo o que se possa dizer contra ela é mentira e não tenta sequer verificar a veracidade de tais argumentos. Elas agem como um robot, não questionam nada, não duvidam e são mantidas longe da realidade.

A “religião” que pensamos nos ser inofensiva é totalmente o contrário. A sociedade Torre de Vigia é uma organização multimilionária que só tem uma coisa em mente: o lucro. Os seus fiéis vivem num mundo á parte longe da realidade. São mantidos assim por conveniência dos responsáveis da seita. Os seus membros estão como que num estado vegetativo onde só realmente importa o que o mestre possa dizer, esperando que brevemente venha o paraíso…

Nada tenho contra as TJ, mas sim contra esta maneira de tratar os seus seguidores. Sei perfeitamente que muitos estão sofrendo devido a tais ensinamentos, e que algumas famílias estão destruídas devido a tais “bondosos” conselhos.

“É muito mais fácil envolver o povo numa grande mentira do que numa pequena. Se a mentira tiver proporções exageradas, nem passará pela cabeça das pessoas ser possível arquitectar tamanha falsificação da verdade.”
(Adolf Hitler)

 

 


deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 15.09.09 às 13:55link do post | | | favorito

 

 

No passado dia 29 de Agosto assisti ao casamento do meu melhor amigo. Pelo que sei era algo que ele ansiava há já muito tempo... Depois de uma união de 5 anos com agora sua esposa (!), lá chegou finalmente o grande momento. Estava um dia de calor (talvez alguns 33, 35 graus), o noivo, esse transpirava incessantemente, não sei se devido ao calor, se apenas por simples nervosismo. Ele mesmo confidenciou-me que antes do grande enlace tinha ido até a piscina dar uns mergulhos para relaxar e repor as ideias no sítio. Não é que ele não soubesse o que queria, ou que simplesmente duvidava se esse passo era o mais certo, mas algo mexia com ele. Talvez o nervoso miudinho, o simples facto de ter esperado 5 anos por este momento e que finalmente tinha chegado. Acho que ele próprio ainda não tinha consciência que o dia chegara...

O enlace deu-se num cenário bucólico, no Marco de canaveses, numa pequena quinta muito bonita e cheia de história... A cerimónia civil realizou-se no jardim, debaixo de algumas árvores centenárias. Depois dos trâmites legais e daquela ladainha toda da cerimónia, chegou finalmente a parte da troca de alianças. Quando o noivo abre a caixa que continha a aliança da noiva, o mesmo olha para todos os convidados e exclama: “a aliança não está aqui”. Logo ali a sua sogra pensava que era mais uma das suas habilidades e exclamou: “… já vais começar?” O facto é que a aliança não estava mesmo na caixa! Era ver todos os convidados de cabeça para baixo a procura da aliança e até mesmo a conservadora meteu mãos a obra. Depois de alguns segundos de rabo para cima, o noivo grita: “está aqui, afinal estava na caixa”. “És sempre a mesma coisa” replica a sogra. O noivo explicou que a aliança tinha deslizado por baixo duma almofada que ajudava a segurar a mesma. Será, não será? Mistério! Bem, pelo menos foi um momento digno de registo!

Uma coisa intrigava a noiva. Porquê que o noivo não tirava os óculos mesmo durante a cerimonia? Fácil, parece que lhe tinha “entrado algo para os olhos” e que devido a tal facto tinha esses cheios de lágrimas!

            Lá correu o jantar normalmente e finalmente chegou a hora de abrir o baile. A música escolhida pelos noivos foi de um musical francês: Notre Dame de Paris. O titulo da musica: Belle. Já tinha visto muita coisa, mas nunca tinha visto um noivo chorar tanto… O que se passa contigo!? No dia seguinte ele mesmo comentou que estava com medo. Todos os sinais indicavam que se estava a tornar numa gaja e numa gaja sensível (o que deixa ainda mais medo!). Debaixo daquela aparência de homem bruto e por vezes duro nas palavras, esconde-se uma pessoa que muito poucos conhecem. É claro que o …. que toda a gente conhecia não é o mesmo, a vida encarregou-se de o moldar e com uma ajuda da sua esposa (ainda a quem diga que as mulheres não fazem bem!).

 

 

            Foi um dia memorável que correu muito bem. O noivo irradiava felicidade por finalmente, e ao fim de tantos anos, ter casado com quem ama.

 

            Felicidades aos noivos!

 

 Video de abertura do baile.

tags:
sinto-me:

deixar comentário
publicado por Justiceiro, em 12.09.09 às 14:28link do post | | | favorito

Depois de meses e meses de pesquisa, finalmente chegou, o blogue dedicado à carne nas suas mais diversas variedades (sem excepção). Aqui poderá encontrar todo o tipo de carne, desde a conhecida carne de vaca, passando pela vitela, havendo também um pouco de carne de porca (não muita), nunca esquecendo a tão famosa carne Brasileira pelo seu gostoso sabor e qualidade. Este blogue nunca poderá ter o sucesso pretendido sem o meu grande amigo Pedro, esse sim, um grande talhante de excepção. Um individuo fora do comum, capaz de descobrir a melhor carne em qualquer parte do país e tudo a um preço desafiando qualquer concorrência.

A ideia desde fantástico blogue nasceu à volta de uma mesa, entre mim e mais dois carniceiros, depois de já devidamente bem regados com… nem sei mas arriscaria 4 garrafas de Monte Velho e sei lá quantas cervejas (muitas!). Estávamos a falar de churrascadas e do sabor que o carvão vegetal confere as carnes, quando subitamente alguém teve a sublime ideia de partilhar a nossa paixão com o publicozinho… Eis aqui o resultado de tão intensa discussão. É claro que este assunto carnífero (palavra inventada na hora) não terá muito espaço (até porque pouca coisa a dizer sobre esse assunto) neste sítio de “qualidade” e respeito, mas sempre que possível, dissertarei sobre os prazeres que a chicha nos proporciona.

Estejam a vontade para comentar, criticar e dar ideias para melhorar a qualidade deste blogue que espero eu, terá o sucesso pretendido (ou seja, nenhum!).

Um abraço ao meu amigo Pedro GPS (mais conhecido como Pedro Chicha), ao meu cunhado que não posso dizer o nome porque ele não deixa (!), ao Nuno Peru, por ter tido sangue frio na hora da matança da porca, ao meu primo Pedro galera, por me ter ido ajeitar o jardim de borla (não tem nada a ver mas fica arrumado), a toda a minha família que me apoiou neste grande projecto, aos meus primos que estão na França, aos meus Tios do Luxemburgo e a todos os que me deram força para que tudo isto fosse possível! Um bem-haja a todos. Depois deste lindo (e parvo) momento ao estilo Praça da Alegria, é só ver como é que vai correr e quanto tempo de vida vai ter o blogue. 

 

 

tags:
sinto-me:

mais sobre mim
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
16
17
18
19

20
21
24
25
26

27
28
29


pesquisar
 
PlanetaPortugues: O motor de busca de Portugal
nº de visitas da freguesia
encerramos ao Domingo
quantos fregueses andam por aqui agora
tradutor
subscrever feeds


.

Assista ao documentário

"O Mundo Perfeito de Jeová"

clicando em baixo